terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Compras online - rendi-me


Sempre fui um bocadinho cética no que às compras online diz respeito. Acho que tinha receio da segurança da transação, receio de o produto não chegar em condições (bem sabemos como os CTT funcionam no nosso país), receio de não ter como receber a encomenda estando fora de casa todos os dias e sendo os horários dos Correios muito pouco compatíveis com quem trabalha... Enfim, pequenas inseguranças que me fazia sempre preferir comprar as coisas ao vivo.
Depois chegou a era dos websites de venda de experiências (Odisseias, Descontos, Lifecooler, etc.) e aos poucos comecei a comprar uma coisinha aqui, outra ali - afinal eram vouchers e vinham imediatamente por e-mail. Depois foi a Saída de Emergência e a Wook e as suas promoções maravilhosas e a facilidade de adquirir os livros sem ter de me descolar à livraria. A par de já não precisar de um cartão de crédito para efetuar essas compras, podendo optar pelas referências multibanco, e de estar a trabalhar num local que me permite receber encomendas pessoais.
Daí até começar a explorar a Internet e os sites de venda de produtos espalhados por esse mundo fora foi um pulinho. Ainda desconfio sempre que tenho de usar o cartão de crédito, prefiro sempre usar o Paypal, nunca compro por impulso, analiso sempre outras opiniões e tento ver fotografias reais dos produtos, mas de uma maneira geral as coisas têm corrido bem. E há sempre promoções fantásticas para aproveitar, no conforto do lar, sem o stress de andar a correr de loja em loja.
Por isso, este ano, despachei quase todas as prendas de Natal com compras online. Quase todas aproveitando os dias loucos da Black Friday, ali nos finais de novembro. Poupei dinheiro, poupei tempo, poupei paciência. Fiquei despachada. E rendida às compras online.


Sem comentários:

Enviar um comentário